Co-co-uá
A Turma do Balão Mágico

Vou contar uma estória do galinheiro da minha avó
Lá todas galinhas juntinhas cantam
C ó - ró - có - có
Todas menos uma que, é tão sozinha que até dá dó
Vive só chorando, no seu canto, sempre só

Quando era pequena, engoliu um chiclete
Bota o mesmo ôvo sem parar
E o galo lhe chama de "iô-iô repete"
Por isso é que ela chora pra cantar
Co-co-uááá co-co-uááá
Co-co-co-co-uáááá

Eu não aguento mais! - berra a minha avó -
porque essa galinha
Não faz mais có-có-ró-có?

Só pra chatear "iô-iô"
Repete sem parar
Co-co-co-co-co-coco-co-co-uááá

E quando as galinhas, suas amiguinhas, vêm lhe ajudar
A botar seu ôvo, cantar de novo e cacarejar
Grita o papagaio, que é bom de bico e sabe imitar,
Co-co-uááá co-co-uááá co-co-co-co-uáááá