Não Bata A Porta Na Minha Cara
Abel e Caim

Não bata a porta em minha cara
Não suje o prato onde comeu
Tantos favores que eu lhe fiz
Será que você esqueceu ?

Que eu tirei você da fossa em que estava
Te dei comida, lhe dei roupa pra vestir
Quando ninguém em você acreditava
Te dei a mão e com amor lhe socorri

Porém agora em que está num mar de rosa
Você não lembra dos favores recebidos
Mas não se esqueça que outra vez pode cair
E os seus gritos talvez não serão ouvidos

Não bata a porta em minha cara
Não suje o prato onde comeu
Tantos favores que eu lhe fiz
Será que você esqueceu ?

Este teto que hoje lhe agasalha
Custou suor deste que você odeia
Porém não julgue estar vencida a batalha
Porque o perigo a todo instante nos rodeia

De uma hora para outra se atrapalha
E os amigos poderão lhe esquecer
E eu ainda posso lhe dar a mortalha
Pois ninguém sabe a hora certa de morrer

Não bata a porta em minha cara
Não suje o prato onde comeu
Tantos favores que eu lhe fiz
Será que você esqueceu ?