Capa de Revista
Amado Batista

Na capa de uma revista
Eu vi o retrato de quem tanto amei
E ao ver o seu rosto sorrindo feliz
confesso que quase chorei

A dor do amor é tão grande
Que eu acho até que nunca termina
Eu sei que ela julga que o nosso amor
Não passou de ilusão de menina

Mas, enquanto ela sorria
Mais saudades eu sentia

O sol lá em cima, tão quente
Esfriou de tristeza ao ver-me chorando
Até parecia criança
Ao ver sua bola querida murchando

Eu nunca pensei que ela fosse trocar nosso amor
Por um sonho de artista
Que acaba num mês, ou menos talvez
Como a capa daquela revista

Passei pela banca, sem ver que o bom jornaleiro
Contente sorria
Então me chamou
E a revista mostrou
Sem saber o quanto eu sofria

Segui meu caminho, mas não conseguia esquecer
Jamais a imagem
Eu quis retornar, e a revista rasgar
Mas, confesso, não tive coragem