Carro Velho
Amado Batista

Comprei um carro velho
Muito louco, incrementado
Não tinha quem por ele
Não ficasse apaixondo
Quando entrava nele
Todo mundo me olhava

E o dedo na buzina
Logo eu apertava
A moçada ia chegando
Olha o ronco que ele tinha...Rom...Rom
Meu carrão era um sarro
Preferido das gatinhas

Um bello domingo,
Enchi de moças meu carrão
Fui mostrar que era
No volante campeão
Quando disparei pelas ruas da cidade,
Era uma loucura a minha velocidade
Eu passei dos 120
Parecia um avião Rom...Rom...
Pra mostrar que era o tal
Eu desci na contramão

Logo, uma patrulha
Encostou bem do meu lado
E, sem documento, pro xadrez
Eu fui levado
Ouço até hoje a sirene em meus ouvidos
Além do vexame por ter sido recolhido
Nunca mais quero correr
O seu guarda me alertou
É perigo morrer
E vida é um amor