O Negócio da China
Amado Batista

Eu vou levar você
Pra comer no meu apê
E lá vou te mostrar
Que eu sei cozinhar

Vou te dar uma comida
Nunca mais vai esquecer
Que eu levei você
Pra comer no meu apê

Você sabe mexer
Com coisa de comer
Com seu negócio aberto
Me chamou pra conhecer
Conheci, gostei, comi
Lombinho a mineira
Comida de primeira

Comidinha mineira
É um trem bom demais
Quem come, quem conhece
Não esquece jamais

Eu vou levar você
Pra comer no meu apê
E lá vou te mostrar
Que eu sei cozinhar

Vou te dar uma comida
Nunca mais vai esquecer
Que eu levei você
Pra comer no meu apê

Você tem dois negócios
Um lugar que satisfaz
Uma na rua da frente
O outro na de trás
O da frente está aberto
Tem um movimento certo
Falta abrir só o de trás

São João com Ipiranga
Onde te conheci
Comi sua comida
E nunca mais eu esqueci

Eu vou levar você
Pra comer no meu apê
E lá vou te mostrar
Que eu sei cozinhar

Vou te dar uma comida
Nunca mais vai esquecer
Que eu levei você
Pra comer no meu apê

Como mais brasileira
Sabor não tem igual
E tem a estrangeira
Que é muito especial

Eu como a japonesa
E também a portuguesa
Por causa do bacalhau

Saque pra esquenta
Vinho pra completar
Mas na hora do
Não da pra comparar

Eu vou levar você
Pra comer no meu apê
E lá vou te mostrar
Que eu sei cozinhar

Vou te dar uma comida
Nunca mais vai esquecer
Que eu levei você
Pra comer no meu apê

Negocio de cabelo
É o que mais grana dá
Mais os cabelereiros
Não te deixam entrar
Eles são pioneiros
Lutam pelo seu lugar

E guerreiros com guerreiros
Fazem zigue-zigue-zá

Não dá pra encarar
Não faço zigue zá
Não jogo cachangá
Melhor deixar pra lá

Uma comidinha boa
Simplesmente me fascina
Dá dinheiro e dá prazer
É o negocio da china

Eu vou levar você
Pra comer no meu apê
E lá vou te mostrar
Que eu sei cozinhar

Vou te dar uma comida
Nunca mais vai esquecer
Que eu levei você
Pra comer no meu apê