Vulto Na Estrada
Amado Batista

Avisto ao longe um vulto na estrada
E penso quem vai ali
Por sobre as pedras duras da estrada
Um homem vai por ali
É meu pai homem de ferro
Que nasceu pra trabalhar
Ele sabe o que é preciso
São dez filhos pra criar

E uma mulher magra e cansada
Amada por todos nós
Cozinha o seu feijão e nos chama
Eu posso ouvir sua voz
Ela é minha mãe querida
Semeando seu amor
Cada filho é uma abelha
Que alimenta desta flor

Mas se não caem pingos de chuva
Meu Deus, o que se fará?
Guardar a enxada é perder a luta
Eles não vão se entregar
Estão plantados na terra
Como raízes ao chão
Vão doar seu sangue a ela
E também seus corações