Estêvão
Andréa Fontes

Caluniado, jogado e perseguido
Ignorado, maltratado, nunca entendido
Era um servo de Deus pronto pra falar
A verdade que todo ouvido quer escutar
Lá vai Estevão, o povo enfrentar
Com grande fúria, todos a gritar

Podem me jogarem pedras
Podem até me calar
Eu morro, não nego, sou servo, sou filho
O Céu é o meu lugar
Podem vir me perseguir
Podem contra mim tramar
Estou em nome de Jesus
A minha cruz eu vou levar

Mesmo apedrejado Estevão adorou
Sentindo muitas dores, ao Pai, assim falou
Recebe o meu espírito e não condeneis
E bem naquele instante, Estevão suspirou
Até o olhar de Saulo, admiração passou
Como pode alguém morrer pela obra de Um Senhor?
Até mesmo quem persegue, no final vai entender
Vale a pena ser fiel, eu sei que Deus vai receber

Vence o gigante e passo a fornalha
Mato até urso com a força de Sansão
Prego a verdade a quem quiser ouvir
Sou herdeiro do Céu e muito em breve chego ali
E quem se atrever ou quiser me intimidar
Eu chamo O Meu Pai, Ele vem me ajudar
Sou mais um João Batista e doa a quem doer
Eu não sou deste mundo, eu sou A Voz de Deus