Blue Janis
Angela Rô Rô

Luzes, suava um bocado
Sofria, grunhia, cantava chorado
Deslocada, na cidade, no amor, no camarim
Assim será sempre foi assim

Janis Joplin e o seu visual
Voz entre os dentes, blues visceral
Janis Joplin não é marginal
Só está acima do bem e do mal

Anjos do apocalipse, veteranos e ex-hippies
Vão romper mais uma vez toda a segurança
A dama é uma criança, mamando o microfone
Está prá lá de alone, um beat não se cansa

Moça feia, gente fina
Calores de heroína, garganta puro aço
Moça linda, gente feia
Que deu essa heroína diluída no seu braço

Vamos todos pro seu camarim
Não quero ver você tão triste assim
Nada de voltar sozinha para o hotel
Somos os seus escoteiros de bordel

Montaremos guarda à sua porta
Mesmo que na marra, não importa
Dessa vez a gente passa a perna
Nessa tal de morte eterna
Oh, essa coisa triste e feia
Que só quer fazer xixi na sua veia

Janis, Janis, Janis, foi só um pesadelo
Agora acorda e vem, arrepia o meu cabelo
Janis, Janis, foi só um sonho mau
O rock de hoje em dia tá querendo o seu know how!