Blues do Arranco
Angela Rô Rô

Arranco a roupa pra me sentir
Bem a vontade pra te mentir
Sem o mínimo pudor fazer promessas de amor
Sem o mínimo respeito ao coração que bate dentro do teu peito
Arranco os blues pra maltratar, só pra te ver me cobiçar
Sem o mínimo escrúpulo, pois coração também é músculo
Sem a mínima vergonha
Eu ponho a fronha no teu rosto e vou me amar
Arranco a pele de bom carneiro
Caço meu lobo só pelo cheiro
Sem sequer compaixão vou te deixar sem ação
Esse tipo de conquista vigarista
É o que eu chamo vocação...