Camisa de Força
Angela Rô Rô

Quero ouvir você dizer que eu estou doente
Que não sei mais o que faço, que me perdi completamente
Quero ouvir a sua voz gritar que enlouqueci
Que meu riso é feito pranto e que meu pranto ri

Pois não faz mal, ninguém corre mais que a corça
No natal me dê uma camisa de força
Não faz mal, ninguém corre mais que a corça
No natal me dê uma camisa de força

Quero ver no jornal que eu bato berro e brigo
Mas quem sonhou, dormiu comigo e ganhou mais um amigo
Seu conselho é que a bebida é minha inimiga
Mas me protege e do seu frio e ao menos me abriga

Não faz mal, o que brilha é a loucura
Passa aqui a garrafa que eu devolvo a cura
Não faz mal, o que brilha é a loucura
Passa aqui a garrafa que eu devolvo a cura

Quero ver a grande fila no final do mundo
Toda a gente se empurrando desse jeito imundo
Quero ver a sua cara olhar o viramundo
E Deus me atender primeiro porque fui vagabundo

Não faz mal é dos loucos todo o céu
Sou criança bem doce, mais gostosa que o mel
Não faz mal é dos loucos todo o céu
Sou criança bem doce, mais gostosa que o mel