Nenhum Lugar
Angela Rô Rô

Nos sonhos teus eu sou a passageira anônima
Alguém que breve ou talvez nunca voltará
Mas tu me habitas sempre e eu sei teu nome
Pois sou tua mulher e sou tua babá

Pareces que sou bruxo ou navegante audaz
Todo o dia partes e se te pergunto aonde vais?
Me dás apenas um sorriso e nada dizes
Pois sou tua filha e sou também teu pai

Se eu não fosse tua mãe como esperar-te?
Se não fosses o todo e eu a parte
Se eu não fosse o rochedo e tu a tempestade
Se eu não fosse a senha e tu o enigma

Se eu não sentisse a tua falta
Como chamar-te e como receber-te
Quando por fim chegasses, quando por fim chegasses
Quando por fim chegasses de nenhum lugar