Maria
Ary Barroso

Maria ! / O teu nome principia

Na palma da minha mão / E cabe bem direitinho

Dentro do meu coração Maria

Maria / De olhos claros cor do dia

Como os de Nosso Senhor/ Eu por vê-los tão de perto

Fiquei ceguinho de amor Maria

No dia, minha querida, em que juntinhos na vida

Nós dois nos quisermos bem

A noite em nosso cantinho/ Hei de chamar-te

baixinho

Não hás de ouvir mais ninguém, Maria !

Maria ! / Era o nome que dizia

Quando aprendi a falar / Da avózinha / Coitadinha

Que não canso de chorar Maria

E quando eu morar contigo Tu hás de ver que perigo

Que isso vai ser, ai, meu Deus

Vai nascer todos os dias uma porção de Marias

De olhinhos da cor do teus, Maria ! Maria !