Na parede da igrejinha
Ary Barroso

Lá no morro da Favela
Na parede da igrejinha tem,
Um nome riscado a carvão.
É um nome de sambista
De fino padrão,
Que mandou por muito tempo
No meu coração...
Mas, certo dia fugiu...
E fez a "pista" e me deixou,
O samba no morro acabou.

Risquei o nome dele a carvão porque
Carvão é a cor da saudade.
Choro de saudade,
Choro sim pra que negar,
O amor, custa a passar...
Ai, Favela,
Teus amores? Nunca mais,nunca mais!...

7609


Ficha técnica da faixa
Voz: Aracy de Almeida
Regência: Luiz Americano

[ Samba - Odeon 12.485B - Intérprete Aracy de Almeida com Luiz Americano e seu Conjunto ]