Cruzada
Boca Livre

Não sei andar sozinho
Por essas ruas
Sei do perigo
Que nos rodeia
Pelos caminhos

Não há sinal de sol
Mas tudo me acalma
No seu olhar

Não quero ter mais
Sangue morto nas veias
Quero o abrigo
Do seu abraço
Que me incendeia

Não há sinal de cais
Mas tudo me acalma
No teu olhar

Você parece comigo
Nenhum senhor te acompanha
Você também se dá um beijo
Dá abrigo

Flor nas janelas da casa
Olho no seu inimigo
Você também se dá um beijo
Dá abrigo

Se dá um riso
Dá um tiro

Não quero ter mais
Sangue morto nas veias
Quero o abrigo
Do seu abraço
Que me incendeia

Não há sinal de paz
Mas tudo me acalma
No seu olhar

Você parece comigo
Nenhum senhor te acompanha
Você também se dá um beijo
Dá abrigo

Flor nas janelas da casa
Olho no seu inimigo
Você também se dá um beijo
Dá abrigo

Se dá um riso
Dá um tiro

Você também
Se dá um beijo
Dá abrigo