Querido, Eterno Amor (part. Gustavo Mioto)
Bruno e Marrone

Querido, eterno amor
Resolvi te escrever de um jeito antigo
Uma caneta cor de céu
Dez anos, duas vidas e um papel

Querido, eterno amor
Se estiver sorrindo, me perdoa
Talvez o que eu vá contar
Faça seu olhar molhar a folha toda

As areias do meu tempo
Já estão se esgotando
Pago o preço, pela vida que andei levando
Nem todos os meus vícios
Tanto erros, covardias
Te fizeram desistir de mim

E antes de tudo acabar
Peço pra me perdoar
Por não te merecer
Pelas noites que atrasei
Pelos beijos que eu neguei
E por não reconhecer

O amor que era meu
Nunca soube enxergar
Quando vi não deu mais tempo
Então, antes que eu vá
Nunca deixe de lembrar

Do meu arrependimento