A Desconhecida
Calcinha Preta

Numa tarde tão linda de sol ela me apareceu
Com sorriso tão triste e olhar
Tão profundo, já sofreu
Suas mãos tão pequenas e frias
Sua voz tropeçava também
E falava da infância de lágrimas
Nunca teve ninguém...

Nunca teve amor
Não sentiu calor por alguém
Nem se quer ouviu a palavra carinho
Seu ninho não existiu

Sinceramente eu chorei de tristeza ao ouvir
Tanta coisa que a vida oferece
Que a gente padece, sem querer
Depois de tudo que eu vi
Não consigo esquecer
Ela me disse adeus e se foi
Nem seu nome eu sei dizer...

De onde ela veio, pra onde ela vai
De onde ela veio, pra onde ela vai
Não sei dizer

Nunca teve amor
Não sentiu calor por alguém
Nem se quer ouviu a palavra carinho
Seu ninho não existiu