Carta Aos Que Esperam
Catedral

Do que mais gosto de mim, gosto da parte criança
Que na realidade nunca para de sonhar
E de acreditar que tudo pode ser melhor
E de acreditar que você pode me entender

De uma vez por todas, eu sou contra a injúria
De uma vez por todas, eu não gosto de mentiras
De uma vez por todas, eu não sou da nova era
E não quero saber de que se trata, não me interessa

Da minha música jorra água cristalina
Eu faço rock, faço funk, faço jazz
Na catedral de mil e uma poesias
Abençoadas pelas mãos do nosso Rei Jesus

Por isso tudo, escrevo para você
Primeiro me conheça, para depois criticar
Primeiro abra os ouvidos, para depois falar
Leia um pouco, se informe, acorde pra vida