Canção da Esperança
Cristina Mel

No Natal esta história começa,
Na noite em que que nasce o neném,
O brilho da estrela, seguiam de longe,
E viram a linda visão,
Que linda visão.

O tempo passou e o menino cresceu,
Fez o cego ver com o toque das mãos,
Nasceu pra ser Rei,
Foi Rabi e Senhor,
Ao menor se entregou,
O melhor do seu ser,
O melhor do seu ser.

Nasceu e morreu,
Há mais de dois mil anos atrás,
Sorriu e chorou,
Sofreu tudo o que é capaz,
Nao quis o poder,
Não posso entender,
Porém seu amor,
Nunca mudou,
Nunca mudou.

A voz de um profeta,
O mundo escutou,
Um jovem carpinteiro,
A todos ele enfrentou,
Foi contra a injustiça,
E o bem ensinou,
Pois Ele é o Caminho a Verdade e a Vida.

E acreditaram que Ele era o Salvador,
O Filhos de Deus Messias e Redentor,
Os que duvidaram prenderam Jesus,
O levaram, Julgaram e mataram na cruz,
Mataram na cruz.

Deus então mudou,
A dor e o sofrer,
Pois a morte não é o fim,
Basta você crer.

Não há mais o que temer,
Ele vivo está,
Esperança Ele vem nos dar,
Ressurgiu e vivo está,
Esperança Ele vem nos dar,
Ressurgiu e vivo está.