Saideira
Eduardo Costa

É desse jeito nos bailes da minha terra
Sanfona no pé da serra e a lona é o céu
Toda galera vai dançando no terreiro
Na ginga de um sanfoneiro e a lua cheia de mel
Ninguém resiste o vai e vem de um fole
Mexe-mexe, bole-bole e no gole da marvada
E a morena leva um fungado na nuca
Arrepia e fica maluca
E se entrega apaixonada
Ih!...no beija-beija, batom com cerveja
Vai virando tira gosto
Colado rosto com rosto, vai dançando a noite inteira
Ih!...no rala e rola coração dispara
Tá na cara que vai dar namoro
Garçom não esquece o choro, capricha na saideira