Saudosa Fazenda
Eduardo Costa

Recordando a fazenda onde eu morava
Eu procuro controlar minha saudade
Em seu solo contente eu pisava
Como eu gostava de ver o cair da tarde

De ver a sombra lá nos montes então descer
O Sol deitado fazia a sombra tão comprida
Esta sombra que eu sempre gostei de ver

Hoje em meu peito faz parte da minha vida
Os pássaros pretos que cantavam o dia inteiro
De tardezinha sua partida anunciava lá no morro
Nos mais altos dos coqueiros
Todos juntos a revoada anunciava

A bela tarde sem os pássaros, silenciava
A sombra da noite, a fazenda toda cobria
A minha mãe para jantar me chamava
Como eu rezava pra chegar logo o novo dia