Ocultei
Emílio Santiago

Ocultei
Um sentimento de morte
Temendo a sorte
Do grande amor que te dei
Procurei
Não perturbar nossa vida
Que era florida
Como, a princípio, sonhei
Hoje, porem,
Abri as portas do destino
Mandei andar o amor
Um mero clandestino
Encerrei, este episódio funesto
Agora, detesto
Aquele a quem mais amei
O meu ardente desejo
Que Deus me perdoe o pecado
É que outra mulher ao teu lado
Te mate na hora de um beijo