Adeus Maria Fulô
Gal Costa

Adeus Maria Fulô,
Marmeleiro amarelou,
Adeus Maria Fulô,
Ôio d'água estorricou

Adeus, vou me embora meu bem,
Chorar não ajuda ninguém,
Enxuga teu pranto de dor,
Que a seca mal começou (bis)

Enxuga teus olhos Maria,
Fulô do meu coração,
Eu voltarei qualquer dia,
E só chover no sertão
Lá longe as horas dá volta,
Eu conto na minha mão