Atrás da Luminosidade
Gal Costa

Andar à toa por aí
Atrás da luminosidade
De porta em porta, casa em casa
Rua em rua, que vontade
De não ter direção, profissão
Nada pra oferecer
De ser que nem balão
Sair do chão
Pra todo mundo ver

Sentindo a força irresistível da cidade
O meu sorriso cheio de felicidade
Vendo a moçada bater palma com vontade
Atração e novidade que eu preciso pra viver

Atrás de mim vem o clarim
Na minha frente a mocidade
Vem um tamanho som sem fim
Do povo todo em liberdade
Só quero aproveitar a ocasião
Que a natureza me deu
Será que é pretensão meu coração
Ser pura eletricidade

Sentindo a força irresistível da cidade
O meu sorriso cheio de felicidade
Vendo a moçada bater palma com vontade
Atração e novidade que eu preciso pra viver