Domingo Antigo
Gal Costa

A cidade faceira
Na feira da vida tá cheia de graça
Na tarde corrida
A cidade faceira tá chea de graça
Lá vem sinhazinha brejeira passar
Mas passa o domingo
O sol adormece
A noite é criança sorrindo na praça
É a moça mais bela, gentil princesinha
Coroa de tranças, desponta a rainha
Lá vem sinhazinha
Que flor mais singela
Vestido rodado, sombrinha na mão
Lacinho de fita, lencinho bordado
De amores palpita o seu coração
A cidade faceira
Na feira da vida tá cheia de graça
Na tarde corrida
A cidade faceira tá chea de graça
Lá vem sinhazinha brejeira passar
Querida menina, que lindo sorriso
Não guarde saudade, nem fique sozinha
O tempo dispara, o amor não espera
O dia que nasce não é primavera
Não fique sentida, me seja sincera
Me conta um segredo, me escreva um poema
Enfeito de rosas, me faça uma prenda
Eu lhe compro um leque de prata e de renda
A cidade faceira
Na feira da vida tá cheia de graça
Na tarde corrida
A cidade faceira tá chea de graça
Lá vem sinhazinha brejeira passar
Feliz o domingo sorrindo se vai
E a noite criança já dança em estrelas
No beijo dourado do sol que adormece
Na lua brejeira que agora aparece
Até sinhazinha suspira encantada
Na gente que passa, quem chora se esquece
Quem ama se encanta
Quem canta se cala
Quem cala se espanta
E a vida não para
A cidade faceira
Na feira da vida tá cheia de graça
Na tarde corrida
A cidade faceira tá chea de graça
Lá vem sinhazinha brejeira passar