Pulsars e Quasars
Gal Costa

Os pulsars, ruídos pulsativos pra Macá
Os quasars, ruídos coloridos para a Gal
O laser, ruídos doloridos para a Gal
Os meses, beijos proibidos pra Macá
O verso, um disco conhecido pra você
Universo, um quadro aberto na TV
O inverso, um ser mutante universal
Meu ingresso para as touradas do mal
Dos sóis, Cá e Gil me mandem notícias logo
A sós, pulsos abertos, eu volto
Sem voz, ye ye, sem voz
Sem voz
Os novos seres seguem, mas sem voz
Sem a voz
Os ruídos terão sentidos e teus sentidos perdidos
Os ruídos terão sentidos e teus sentidos perdidos
Os pulsars, os quasars, o laser, os meses
Tudo tão perto de nós
Você me vê? Não me vê
De um pulsars, de um quasars
Pelos raios da TV
Da TV, da TV...