Quando a Tua Boca Beijo
Gal Costa

Quando a tua boca beijo
E em teus braços me ameio
Sinto-me arder de desejo
Desvairado e violento
De me deixar devorar
Na fogueira do teu seio
Na chama do teu olhar
Na fogueira do teu seio
Na chama do teu olhar

Na tua boca airosa
Onde há beijos a florir
Eu não sofro e a sorrir
Vou fingir a minha dor
Boca linda, diz de novo
Delírio do meu amor
És a taça deliciosa
Onde acalmo o meu ardor

Quando a tua boca beijo
E ao teu corpo me enlaço
Sinto-me arder de desejo
Violento e desvairado
De parecer afogado
E morrer em mil anseios
No fulgor do teu regaço
Entre as brumas dos teus seios