Tapete Mágico
Gal Costa

Os olhos de Carmem Miranda moviam-se discos voadores fantásticos
No palco Maria Betânia, desenha-se todas as chamas do pássaro
A dança de chaplin, o show dos Rolling Stones
A roça de Opô Afonjá
Mas nada é mais lindo
Que o sonho dos homens de faze um tapete boar
Sobre um tapete máfico eu vou cantando
Sempre um chão sob os pés, mas longe do chão
Maravilha sem medo, eu vou onde e quando
Me conduz meu desejo e minha paixão
Sobrevôo a Baia de Guanabara
Roço as mangueiras de Belém do Pará
Paro sobre a Paulista de madrugada
Volto pra casa quando quero voltar
Vejo o todo da festa dos navegantes
Pairo sobre a cidade do Salvador
Quero de novo estar onde estava antes
Passo pela janela do meu amor
Costa brava, Saara, todo o planeta
Luzes, cometas, mil estrelas do céu
Pontos de luz vibrando na noite preta
Tudo quanto é bonito, o tapete e eu
A bordo do tapete você também pode viajar, amor
Basta cantar comigo e vir como eu vou