Eu Tô de Pá Virada
Hugo Pena e Gabriel

Eu tô de chapéu torcido, arriado de aba caída
Já meti o pé na jaca pra ver se esqueço
A paixão doída

Eu tô com a pá virada, tô num mato sem cachorro
Não sei se brigo por ela se bebo e choro
Se mato ou morro

Essa paixão tem um veneno me tonteia
Foi entrando pelos poros quando vi tava na veia
Já chorei um alambique, de saudade e solidão
Fiquei doente de amor, embriagado de paixão

Pior que coice de mula, picada de escorpião
Esse amor entrou no peito e detonou meu coração

Eu tô de chapéu torcido, arriado de aba caída
Já meti o pé na jaca pra ver se esqueço
A paixão doída

Eu tô com a pá virada, tô num mato sem cachorro
Não sei se brigo por ela se bebo e choro
Se mato ou morro

Tô bancando o idiota, dou murro em ponta de faca
Passo a noite acordado e o dia inteiro de ressaca
Tô entrando em parafuso, já tô ficando doidão
Do bom dia pro cachorro, jogo milho pro avião

Minha moral tá mais baixa do que barriga de cobra
Ou eu tô enfeitiçado ou com praga de sogra

Eu tô de chapéu torcido, arriado de aba caída
Já meti o pé na jaca pra ver se esqueço
A paixão doída

Eu tô com a cara virada, tô num mato sem cachorro
Não sei se brigo por ela se bebo e choro
Se mato ou morro