Êta Baião
Jackson do Pandeiro

Como é bonito ver no alto sertão
Os violeiros rasqueando a prima com bordão. [repete]
Os cabras fazem desafio, rima sem perder o fio
E assim nasce o baião.
Coro:
Eta baião... Eta baião.

Os cabra tira as alpercata, bota os pé no chão
E depois de formada a roda começa o rojão. (repete)
O cabra faz um corrupio, se "troce" que nem pavio
Chega inté furar o chão.

Coro:
Eta baião... Eta baião.

Quando chega a madrugada com o seu clarão
Todo mundo está cansado mas não pára não. (repete)
De longe se ouve o tropé, e a resposta das mulhé
Batendo palma de mão.

Coro:
Eta baião... Eta baião.