Lingua Ferina
Jackson do Pandeiro

Quando esse cabra morrer
O corpo vai num caixão
Mas a lingua desse cabra
Tem que ir num caminhão

Quando ele veio do norte
Era tudo o que ele tinha
Um pouco de raspa dura
Uma colher com farinha
Uma esteira na cabeça
Puxando uma cachorrinha

Agora que ele tem
Meia dúzia de tostão
Fala mal do carioca
Que tanto lhe deu a mão
Eu também sou do nordeste
E sempre achei que o homem
Que honra a calça que veste
Nao suja o prato onde come