Mané gardino
Jackson do Pandeiro

Taí, taí, taí, Mané Gardino
Taí, taí pra você ver
Taí, taí, taí, Mané Gardino:
Fulorinda bota os homens pra roer.

Mané dizia
Que era mentira minha
Que a mulher que ele tinha
Não dançava com ninguém.
Eu disse a ele:
Compadre, não se avexe
Tu vai ver como ela mexe
Quando cai no xenhenhém.

Mané Gardino
Quando viu, tremeu o queixo
Olhando pro remelexo
Da mulher no xenhenhém
Franziu a testa
E disse num desafogo
Que botava a vida em jogo
Sabendo a mulher que tem.