O Vento
Jackson do Pandeiro

O vento deu por baixo
A saia da nega subiu
O vento deu por baixo
Em forma de currupio

Não ande desprevinida
Não tõ pouco de saia rode
Não quero ver, minha nega
O povo da rua sorri de você

O vento deu por baixo
A saia da nega subiu
O vento deu por baixo
Em forma de currupio

O vento foi insolente
Soprando com força demais
A nega segurava a saia na frente
E o vento levantava atrás