Sanfona braba
Jackson do Pandeiro

A sanfona chora e ninguém vai embora
Cresce a animação
Mulatas e brancas
Sacudindo as ancas segura o rojão
Furam noite e dia numa gritaria
Que só gente louca e a sanfona braba
Já desafinada vai ficando rouca

Geme o fole geme, roncando nos baixos
Geme sem parar
A turma fogosa toda buliçosa
Se dana a pular
Levanta a poeira
Ferve a bebedeira
Todo mundo dança
Lá pela cozinha, pela camarinha
Vão enchendo a pança