A Seiva da Vida
Jamelão

Nos mares da poesia, naveguei
Cruzando as fronteiras do tempo
Eu aportei nas terras de Canaã
O povo fenício encontrei
Do cedro, construíam as embarcações
Banhando com sabedoria
Outras civilizações

A expansão comercial
Gerou o intercâmbio cultural
Mistério! A seiva da vida
Chega ao país do carnaval

É prometida esta terra!
Abençoado nosso chão
Onde a semente da paz é verde e rosa
E brota no seu coração

Da arte assíria, a inspiração
O rei mandou construir
O monumento ao amor
E à rainha negra ofertou

Tem mascates, troca-troca, gritaria
A dança do ventre até hoje contagia
Vou pro SAARA comprar, no dia-a-dia
Descendo o morro
Vou vendendo alegria

Eu sou a essência do samba
A minha raiz é de bambas
Sou Mangueira!
O tronco forte que dá fruto
A vida inteira