Meu Pecado
Jamelão

Deixa-me sofrer que eu mereço
Por um pouco que padeço
Não paga um terço do que fiz
É tão grande, tão horrível, meu pecado
Que eu sendo assim castigado
É que me sinto feliz

Deus, concedeu-me o direito
De eu mesmo ferir meu peito
Não quis meu crime julgar
Bem feliz, é todo aquele que erra
E aqui mesmo na terra
Pode seu crime pagar

Joguei uma jovem ao rigor dos caminhos
A trilhar sobre um monte de espinhos
Vejam só a maldade que fiz
E quando, a encontrei assim atirada
Doentia, tristonha e arruinada
Pus-me a rir, desta pobre infeliz

E hoje, o remorso que trago comigo
Transformou-se em meu inimigo
E procura vingar-se em meu ser
Ando a vagar qual um louco morcego
Que procura fugir do sossego
Pra nas trevas do mundo viver