Delegado Jaracuçu
Léo Canhoto e Robertinho

No lugar muito distante
Nos confins de meu sertão
Moravam dois fazendeiros
Mais bravos que um leão

Os dois bebiam cachaça
Dia e noite no tonel
Era urutu cruzeiro
O outro era o cascavel

"-ô urutu, hoje eu acabo com você seu vagabundo!
- acaba não cascavel!
-acabo sim pode pedir bença pro seu pai porque agora você vai morrer!!
- oxente meu pai não ta em casa!
-aonde ele foi?
- ele fugiu com tua mãe!! ah ah ah!!!"

Eles vivam brigando
Todo dia, toda hora
Acabando a munição
Os dois briguento ia embora

Todo dia cedo
Eles tornavam a vir
No armazém do seu joaquim
Eles começavam a discutir

"- cascavel, paga uma cachaça pra eu?
-eu não pago cachaça pra ladrão de égua!!!
- ladrão de égua é tu seu fedorento!!! cascavel cade você?
-eu to aqui atrás do balcão!
- então levanta pra engolir uma azeitona!!!
-eu não gosto de azeitona!!!
- uai, e tu gosta de que?
-eu gosto mesmo é de tua mulher!!!
- o seu inseto fedido!! lá vai fogo!!!"

Certo dia o delegado
Resolveu entrar em ação
Chamou logo os dois valente
E foi dando explicação

Pegue as armas carregadas
Vão pro alto do espigão
Se vocês não se matarem
Eu os levo pra prisão

"delegado era valente, destemido pra chuchu!
Todo mundo o chamava de cobra jaracuçu!
Já falou pros moradores, vou acabar com esse angu!
Vamos ouvir o tiroteio do cascavel e do urutu!

- pois é senhor cascavel! aqui estamos eu e o senhor no meio das ventania e dos lobo uivando!
Dessa vez você não escapa, eu vou lhe matar sua lombriga assustada!!!
-tu ta muito enganado urutu!! eu não como nada enrolado não!! pode atirar sua minhoca disfarçada!"

No outro dia de manhão
O sol nasceu mais bonito
Trazendo paz no arraial
Para aquele povo aflito

Cascavel e urutu
Estava cheio de mosquito
Os dois furado de bala
Igual tábua de pirulito