Lágrimas de Pai
Léo Canhoto e Robertinho

"Seu moço, você está vendo
Esse velho quase morrendo, se arrastando pelo chão
É esse o pagamento
Que ele recebe nesse momento do seu filho do coração
Ele é honesto, é muito honrado
Trabalhou feito um escravo, não merece esse triste fim
Coitadinho, vive sofrendo
Dia e noite padecendo e para seu filho ele canta assim"

Volte pra casa, meu filho, lhe peço pelo amor de Deus
Escuta a voz do seu pai, atenda o pedido meu
A sua mãe está doente, ela vai morrer a qualquer hora
Ganhando a vida ela vive lavando roupa pra fora
Eu vivo em casa sofrendo, não posso nem me levantar
Em uma cadeira de rodas, eu passo a vida a chorar

Eu sei que você está vivendo a vida que lhe satisfaz
Você hoje sente vergonha porque eu sou pobre demais
Criamos você com carinho até os vinte anos de idade
Depois você nos desprezou, é triste essa minha saudade
Agora você está casado, até sei que tem um filhinho
Meu filho, pelo amor de Deus, me deixa ver meu netinho

Nós queremos a sua ajuda, precisamos da sua atenção
Se você tem vergonha de nós, não precisa vir aqui, não
Mande alguém nos levar a um asilo porque aqui não podemos ficar
Pague apenas a nossa despesa, não precisa ir nos visitar
Muito breve eu e sua mãe estaremos dando a despedida
Deus lhe pague, meu querido filho, por tudo que nos fez nesta vida