O Homem do Sol
Léo Canhoto e Robertinho

O homem do sol
Com a pele queimada
E as mãos calejadas
Não tem feriado
Pedindo a Deus
Um ano de sorte
Com seus braços forte
Prepara o roçado
E quando vem a chuva
Na terra caindo
Faz a plantação
Com grande esperança
Ele luta sozinho
De tudo um pouquinho
Semeia no chão

O homem do sol
É feliz na roça
Em sua palhoça
Da muito valor
De manhã cedinho
Ele vai pro trabalho
Em cima do orvalho
Derrama o suor
Ao mover da tarde
Ele deixa o roçado
Com o corpo cansado
Ele chega em seu lar
Sua amada lhe esperando
Na porta da frente
Alegre e contente
Ela vai te abraçar

O homem do sol
Que em Deus de verdade
Não deixa a maldade
Ferir teus irmãos
Só ele respeita
A lei da natureza
Com toda a pureza
Do seu coração
E o responsável pela agricultura
Da nossa fartura
Ele é o produtor
E Deus lá no céu
Derrama a benção
E da proteção
Ao fiel lavrador