Soca, Soca
Léo Canhoto e Robertinho

Eu conheci uma velinha simpática
Bonita e pratica rica demais
Muito dinheiro e muito ouro guardado
Fazenda pra todo lado boi que não acaba mais.

No aniversários dos seus oitenta aninhos
Ela disse com jeitinho repleta de gentileza
Case comigo eu sou louca por você
E no dia que eu morrer é toda sua riqueza

Pensei comigo tenho cinqüenta e sou forte
Aproveitei a minha sorte e tratei de me casar
Velha danada ele só pensa naquilo
Emagreci dezoito quilos de tanto saca, soca.

Ela me põe no pilão apara socar
Soco arroz, soco trigo, soco milho e café
E lá vem ela e começa me agarrar
Qualquer dia vou socar essa béstia de mulher.

Eu que pensei que ela fosse morrer cedo
Agora estou com medo veja o que me aconteceu
Duas de dia, três de noite não agüento
Vou embora enquanto é tempo senão quem morre sou eu.

O seu prazer e montar em cavalo bravo
Descer o reio, descer o cabo manda espora e da um grito
E eu de lado fico olhando por baixo
Já to no fundo do tacho não monto nenhum cabrito

Falei com medico ele me disse cai fora
Porque a sua senhora vou dizer é o seguinte
Você pensou em pegar o dinheiro dela
Mas vou te falar que ela vai morrer com cento e vinte.

M e lasquei, me danei me encrenquei, me machuquei
Me enrolei, me estrepei, eu juro que me fuzilei...!