Tô Virando Pó
Léo Canhoto e Robertinho

Chorando vou vivendo
Levo a vida chorando
Sozinho no meu quarto
Sofrimento machucando

Releio a cartinha
Que ela escreveu pra mim
Dizendo acabô, terminô
Chegou ao fim

São noites e mais noites
Que passo acordado
Enganando a mim que a
Tenho do meu lado

Eu não quero visita
Por favor me deixe só
Daí eu irei pro lixo
Eu tô virando pó

Tô virando pó
Tô virando pó
Tô virando pó
Tô virando pó

O pior de tudo isso
É que logo mais a noite
Ela vem com outro
Bem na minha calçada

E para aumentar
O meu triste sofrimento
Do meu quarto a vejo
Com outro abraçada

Ela sabe que tô
No meu quarto vendo ela
Sabe que tô olhando
Pela fresta da janela

Ela dá um sorriso
Olha pra mim e não tem dó
Mesmo sabendo que eu
Tô virando pó

Tô virando pó
Tô virando pó
Tô virando pó
Tô virando pó

Bebo tudo que encontro
Bebo, bebo que dá pena
Da fresta da janela
Eu fico olhando a cena

Queria ser bem forte
Mais eu sou um cara fraco
Os dois fazem amor
Eu olho pelo buraco

Não saio pela rua
Para não ouvir o povo
Dizendo que a noite
Começa tudo de novo

Lá vem ela com outro
Em baixo da minha janela
Só me resta assistir
Outra vez a mesma novela

Acabei de virar pó
Acabei de virar pó
Acabei de virar pó
Acabei de virar pó
Acabei de virar pó
Acabei de virar pó
Tô que tô que é puro pó