A Desconhecida
Lourenço e Lourival

Dirigindo sempre em velocidade
Porém numa tarde alguém me alcançou
Notei pelo espelho que estava me olhando
E logo em seguida ela por mim passou
Ela em seu carro foi em minha frente
Brincando com a gente, acenando a mão
Foi mais um dilema que tive na vida
Ao sentir amor pela desconhecida
Que talvez brincava com meu coração.

Dei sinal a ela pra me escrever
O seu endereço e no asfalto atirasse
Carinhosamente fez meu pedido
Sorrindo acenou pra que eu apanhasse
Eu parei o carro e contente saí
Ela foi embora e o bilhete ficou
Mas desse momento eu nunca me esqueço
Quando aproximei do seu endereço
Para as águas do rio o vento levou

Mas ainda resta pequena esperança
Espero que ela não me esqueceu
Porque se um dia me ouvir cantando
Ficarás sabendo que aquele sou eu
Peço que me escreva, se estiver me ouvindo
Pois seu endereço a água levou
Se não escrever indeciso estarei
Jamais vou saber com quem namorei
Ela também com quem namorou!