A Filha do Jardineiro
Lourenço e Lourival

Senhorita me permita
Contar um segredo meu
Senhorita donzela e bonita
Precisa saber quem sou eu
Senhorita este jardineiro
Que zela dos canteiros
Da escola onde vem estudar.
É seu eterno amigo
E um segredo antigo vai te revelar.

O homem que está vivendo sai com sua mãe
E você com todo carinho o chama de pai
Eu sei que é triste, assim é a realidade
Este homem só é seu padrasto e nada mais.

Eu e sua mãe no passado pecamos
E depois nos casamos, mas não seu par viver
Eu não era o homem que ela sonhou
Então em abandonou antes de ter você.
Senhorita não se preocupe
Com as lágrimas deste jardineiro
Você é o sangue do meu próprio sangue
Sou o seu pai verdadeiro.