A Mudança
Lourenço e Lourival

A MUDANÇA

Minha infância passei lá na roça
Oh, que vida gostosa que eu tinha
Meu pai era um homem forte
Minha mãe muito alegre, novinha

Os vizinhos da redondeza
Lá de casa então não saíam
Eu confesso que nunca me esqueço
Dos bailes, das festa e dos terços
Que papai quase sempre fazia

Quando eu completei quinze anos
Certo dia meu pai decidiu
Nós vamos mudar pra cidade
Com a noticia, meu peito partiu
Deu quase de graça a nossa mudança
E o que não vendeu ele repartiu

O nosso cavalo de estimação
No acerto de contas ficou pro patrão
Notei nos teus olhos a dor que sentiu

Nossa casa tinha oito quartos
Duas salas e uma despensa
Na cozinha, um fogão de lenha
E pra fora uma varanda intensa

Hoje moramos amontoados
A nossa casinha parece uma prensa
Lá no sítio era tanta fartura
Hoje a gente come sem mistura
E eu sinto da roça uma saudade imensa

Se você hoje me perguntar
Se de novo eu pudesse escolher
A cidade ou a velha fazenda
Que eu nasci e que me viu crescer

Com certeza eu voltava pra lá
E a primeira coisa que eu ia fazer
Cair de joelho e beijar o chão
Arrancar a saudade do meu coração
E de lá sair só quando eu morrer