A Rua Em Que Você Morava
Lourenço e Lourival

Aquela rua não é mais a mesma rua
Ficou tão diferente desde que você mudou
Aquela casa não é mais a mesma casa
Agora é tão triste sentir falta de você

E quando olho para janela e não te vejo
Sinto falta e desejo do amor que perdi
Sua presença satisfaz e me fascina
Você é a menina que nasceu só para mim

Me lembro ainda do bilhete carinhoso
Que você me escreveu quando eu a conheci
Você dizia que me amava e me adorava
Dizia que queria ser a minha namorada

Eu aceitei e contente então fiquei
Pois você é diferente de muitas que conheci
Cabelos pretos, lábios cor de rosa
Você é uma rosa que nasceu no meu jardim

Hoje eu me sento no murinho lá da rua
Onde você passava toda hora para me ver
Desconfiada com medo dos seus pais
Seus olhos me olhavam mas fingiam não me ver

E quando olho para janela e não te vejo
Sinto falta e desejo do amor que perdi
Sua presença satisfaz e me fascina
Você é a menina que nasceu só para mim

E quando olho para janela e não te vejo
Sinto falta e desejo do amor que perdi
Sua presença satisfaz e me fascina
Você é a menina que nasceu só para mim

E quando olho para janela e não te vejo
Sinto falta e desejo do amor que perdi
Sua presença satisfaz e me fascina
Você é a menina que nasceu só para mim