A Vingança do Vaqueiro
Lourenço e Lourival

O meu cavalo está no tronco amarrado
Mascando feio procurando entender
Que foi roubada minha esposa da fazenda
E um duelo não demora acontecer
Esta missão é complicada, mas eu sigo
Pois este roubo eu preciso desvendar
Por esses campos, cruzo vales e fronteiras
O meu gatiado é muito bom pra galopar

Do outro lado da montanha que se avista
O pensamento está querendo me dizer
Que os bandidos se encontra de tocaia
E necessito muita calma pra vencer
A esposinha com certeza muito chora
Pedindo a Deus que eu descubra onde ela está
Sem saber que bem pertinho me encontro
Com o revólver pronto para disparar

No pé da serra eu desmonto do cavalo
E dou um tiro sem me mostrar a ninguém
Me aproximo me escondendo atrás das pedras
E vou buscar os raptores do meu bem
Se algum deles for ligeiro na gatilho
E no tinido do seu dedo atirador
E frente à frente iniciaremos um duelo
Depois veremos quem será o vencedor

Botei em frente os perigosos pistoleiros
E suas armas de assalto dominei
Naquela dupla perigosa malfazeja
Com muita classe eu totalmente desmanchei
Sou cauteloso quando entro num perigo
E justiceiro na maneira de ação
Os pistoleiros eu levei ao delegado
E a minha esposa eu prendi no coração