A Viola e a Estudante
Lourenço e Lourival

Conheci um violeiro cantava com a voz macia
Apesar da sua idade enfrentava cantoria
Ele tinha uma filha que era sua alegria
Mandou ela estudar pra se formar algum dia
O estudo da menina a viola garantia

Depois da moça formada o velho ficou satisfeito
Mas ele nunca pensava que seu sonho era desfeito
A moça voltou pra casa com orgulho e preconceito
Ser filha de um violeiro ela achou que era defeito,
Tinha vergonha de ver o pai com a viola no peito.

O prazer do pobre velho aquele moça proibia
Não quero ver nessa sala suas danças de catira
A moda do estrangeiro todo mundo admira
Não quero ver em minha frente a sua viola caipira
Se tiver amor na viola, pega ela e se retira.

Ela abraçou na viola dando suspiro e ais
Mas parece que a mocinha tava mesmo por demais
Sou formada e sou grã-fina, caipira não sou meu pai
Ainda resta dizer estas palavras finais
Se o senhor não der um fim na viola eu vou sumir pra nunca mais.

O velho pegou a viola e saiu pro mundo a fora
E a justiça seja feita por Deus e Nossa Senhora
Prefiro viver jogado, cantar pra ganhar esmola
Desprezo meu próprio sangue, não desprezo minha viola
Não despreze quem te deu esse seu luxo e sua escola.