Boêmio Colarinho Branco
Lourenço e Lourival

Garçom, guarde a chave do meu carro
Deixei ele estacionado ali no fundo
Sirva-me whisky e cigarro
Eu hoje vou me desligar do mundo
Garçom, não quero ser importunado
Nem mesmo pela mais linda mulher
Vou dar um cheque branco assinado
Quero pagar tudo antecipado
O gasto que hoje aqui fizer

Lá fora sou um homem respeitado
Cliente especial em muitos bancos
Aqui sou um pobre apaixonado
Um boêmio colarinho branco
Garçom, eu te peço, não se zangue
Se hoje eu beber fora da medida
Desculpe se eu der algum vexame
Movido pela força da bebida

Garçom, quem eu amo está agora
Vivendo feliz com meu rival
Deixou-me para sempre e foi embora
E eu estou aqui jogado fora
Igual confete quando acaba o carnaval
Lá fora sou um homem respeitado
Cliente especial em muitos bancos
Aqui sou um pobre apaixonado
Um boêmio colarinho branco