Cachorro Manco
Lourenço e Lourival

Um garoto guardou quase um mil e foi num canil pra comprar um cão
E o gerente mostrou ao menino, bonitos caninos em exposição
E o garoto entre todos aqueles sentiu por um deles grande atração
Era um poodle num canto isolado, triste abandonado sem água e ração

O cachorro de pelo bem branco porém por ser manco estava condenado
E dizendo ao garoto o gerente, aqui deficientes são sacrificados
E o menino vendo a ingratidão sentindo afeição ao cachorro aleijado
Comprou o cãozinho e tirou do ambiente, e pelos presentes ele foi indagado.

Entre tantos cachorros perfeitos quero um com defeito e criar não convém
E o menino num tom superior disse o dom do amor são poucos que têm
Ao nascer já trazemos a sina e da luz divina nós somos reféns.
E deste cachorro não sou diferente sou deficiente da perna também

E erguendo a perna da calça e um tanto sem graça mostrou sua dor
E abraçando o pobre cachorro pediu por socorro ao Nosso Senhor
Para os homens ter dignidade banir a maldade e no ser dar valor
Porque neste mundo de tanta descrença a maior doença é a falta de amor