Canga Do Tempo
Lourenço e Lourival

Com uma canga de madeira os bois carregam
A carga no velho carro em seu vai e vem
Com a canga do meu destino eu carrego a vida
E a vida carrega as dores que o corpo tem
As flores vêm de meus sonhos despedaçados
Estrada esburacada quem me pegou
Por onde puxei meu carro de amor desfeito
Até que a canga do tempo me calejou

Todos temos nossa canga, mas nós não vemos
Puxando a pesada carga da solidão
Até que o carro da vida um dia para
No lamaçal sem saída do coração

Canga de madeira forte foi desgastando
Pelas estradas batidas desses sertões
A canga do meu destino é bem mais dura
Porque foi feita por muitas ingratidões
Sobras de amores ficaram pelos barrancos
Recordações se perderam nos areiões
Ficou a o pó da saudade no cabeçalho
E o choro das minhas mágoas nos seus cocões

Todos temos nossa canga, mas nós não vemos
Puxando a pesada carga da solidão
Até que o carro da vida um dia para
No lamaçal sem saída do coração