Colchão Errado
Lourenço e Lourival

Guarânia

Você está dormindo em colchão errado
Mesmo te cobrindo em finos cobertores
Os meus braços pobre, muito mais te aquecem,
Porque são de afeto fiéis portadores.
De que adianta toda essa riqueza
Se você não ama quem contigo dorme
De que adianta ter calor por fora
Se dentro da alma sente frio enorme.

Teu colchão de mola fica umedecido
Num pranto sentido que chora por mim
E melhor um sono bem agarradinho
No pobrezinho colchão de capim.

Noite de insônia e de pesadelo
Hoje te oferece seu colchão de plumas
O que adianta todo esse conforto
Se você não sente emoção nenhuma.
As plumas parecem espinhos que ferem
Seu corpo carente de amor e carinho
Você está dormindo em colchão errado
O meu leito pobre deve ser seu ninho.